VIM COBRAR ACABOU, MAS A MISSÃO DO JORNALISMO LIVRE CONTINUA

34

A partir de hoje encerramos o quadro  Vim Cobrar. E gostaria de explicar o porquê!

No ano passado, convidei o Amilton para um novo quadro no meu programa de 11h- De olho na cidade. Para denunciar todos os problemas da comunidade, levaríamos ás autoridades e colocaremos no AR e na Live. Ele aceitou, mas como decidiu se candidatar a vereador, definimos engavetar o projeto, para se caso perdesse a política aí sim ele estaria à frente do quadro em 2021.

Em 2021, como ele perdeu, me veio com a mesma proposta, mas com o nome Vim Cobrar. Mandou-me uma bela camisa e entrei no grupo.

O propósito era cobrar das autoridades executivas, legislativas e até judiciária quando for preciso. Nossa cidade carece de gente forte o suficiente com coragem capaz de cobrar do prefeito, dos vereadores e até do juiz.

É isso que faço nos meus jornais. Mas o Vim Cobrar fez por um curto período. Não sei o motivo, e como não uso debater em grupos, decidi deixar aqui a despedida.

Por muitos anos tenho sido massacrada por pessoas apaixonadas por determinados políticos. Lado A, lado B, lado C e lado D,  todos que se declaram apaixonadamente por um dos lados sempre deve um favor ou foi beneficiado de alguma forma e por isso devem ter gratidão.

Eu pessoalmente devo muito a todos que me rodeiam, acredito que preciso de todos, absolutamente todos, mas na minha profissão luto incansavelmente para não depender de ninguém, a não ser do meu trabalho honesto.

Todas as vezes que publico um artigo de opinião, ou uma matéria cobrando algo pelo povo, a  fala dos aficionados é a mesma “Ela tem interesse político. Ela quer ser prefeita.” Aí começam os ataques pessoais. Onde estão os argumentos? Vamos debater argumentos?  

Quando me atacam dizendo que quero ser prefeita, inflamam meu ego. E eu luto todos os dias contra ele. O ego do ser humano, bem como a vaidade, ganância pelo dinheiro e pelo poder podem levar o ser humano ao topo e depois derrubá-lo lá de cima com a mesma força.

Sou uma mulher muito simples. Sou nascida no Vale do Jequitinhonha, uma das regiões mais pobres do Brasil. Sou feliz demais com tudo que Jesus já me deu. Não troco minha vida simples com meu esposo e filhos que amo, por uma prefeitura ou Câmara. Já parou pra pensar que a vida é um sopro e a verdadeira felicidade está nas coisas simples da vida?

Meus trabalhos vocês podem acompanhar na Rádio 98FM, no site e redes sociais do Jornal Serranense. Minha vida é um livro aberto e as coisas que amo e valorizo estão em minhas redes sociais.

Meu trabalho segue firme no jornalismo coerente e verdadeiro. Aqui é meu lugar! Lugar conquistado com muita luta e perseverança. Eu falo em nome do povo que não tem voz e só me calarei quando eu morrer.

Por Lilian Camargos